Não perca nenhuma novidade! Receba nossos artigos e materiais e fique preparado para os desafios da gestão industrial. Cadastre-se

Porque a sua gestão de estoque está diminuindo seus lucros

23 de março de 2018
Gestão
Gestão de estoque

Está com problemas para reduzir os gastos da sua empresa e maximizar os lucros, sem deixar de oferecer produtos e serviços com o mesmo padrão de qualidade aos seus clientes? Tem dores de cabeça com a degradação, depreciação ou o vencimento de produtos, enfrentado riscos na sua produção? Bom, então definitivamente é hora de rever a sua gestão de estoque!

Esse processo afeta diretamente os custos e a logística de todas as entregas da sua indústria. Portanto, deve ser encarado de forma estratégica, contando com análises e históricos recorrentes. Entenda como medir e acompanhar a eficiência da sua gestão de estoque e, assim, descobrir como ela está afetando seus lucros!

Gestão de estoque: Quais são seus indicadores?

Um erro comum é acreditar que a melhor forma de ter uma boa gestão de estoque é manter a alta disponibilidade dos materiais, evitando atrasos nas entregas. No entanto, essa decisão pode, na verdade, comprometer a sua produção, com produtos vencidos e grandes prejuízos. Além do mais, um estoque elevado não é uma garantia de disponibilidade, afinal, ainda pode apresentar falta de itens importantes para a sua indústria, concorda?

Ao invés disso, outros indicadores podem te ajudar a medir a eficiência da sua gestão de estoque, de forma concreta e confiável, seja mensalmente, semanalmente ou diariamente. Saiba quais informações podem te alertar sobre as más e boas práticas da sua gestão de materiais!

  • Número de pedidos entregues com sucesso: Acompanhe a porcentagem de entregas sem avarias ou qualquer reclamação de seus clientes;
  • Índice de atendimento aos prazos: Considere o número de pedidos que foram entregues na data definida com o cliente, sem problemas com a disponibilidade e capacidade de estoque;
  • Custos logísticos: Compare os gastos com o transporte e todos os processos em relação aos lucros obtidos com as vendas e compras dos produtos ou serviços;
  • Custos com a solução de problemas: Coloque no papel todos os gastos emergenciais, como entregas expressas para evitar atrasos, ou compras de última hora, por exemplo;
  • Custos com logística reversa: Avalie o quanto a sua indústria gasta em casos em que o produto retorna ao estoque, seja para troca, descarte, conserto ou outra necessidade.

Essas informações podem demonstrar na prática o que vale e o que não vale a pena, bem como o que otimiza e o que prejudica a sua gestão de estoque. Mas vale lembrar também que analisar as ordens de compra, selecionar bons fornecedores, acompanhar pedidos e recebimentos de materiais, bem como realizar o levantamento de inventários também são processos fundamentais.

Esses processos podem ser realizados a partir de diferentes cálculos, como  Ponto e Lote de Ressuprimento, que avalia os itens do seu estoque a cada retirada de material;  Revisão Periódica, que estabelece um intervalo de tempo para a revisão da disponibilidade de itens e para a compra de novos produtos; ou ainda o MRP, que integra o seu sistema de gestão e, a partir dos dados de cada setor da sua indústria, calcula o que, quando e quanto comprar e produzir, além de fazer previsões de entradas e saídas.

Em todos esses modelos de gestão de estoque, é essencial ter uma visão sistêmica da sua indústria para realizar planejamentos e controles eficientes, potencializando seus lucros e resultados. Quer saber mais sobre o assunto? Confira nosso eBook exclusivo, “Guia de Gestão para Indústrias”, e tire boas lições!


Comentários

Tags Relacionadas Gestão de estoqueGestão de Indústrias
Publicações relacionadas

Não perca nenhuma novidade! Receba nossos artigos e materiais e fique preparado para os desafios da gestão industrial.

Cadastre-se