Não perca nenhuma novidade! Receba nossos artigos e materiais e fique preparado para os desafios da gestão industrial. Cadastre-se

Gestão fiscal e tributária: Quais erros uma indústria deve evitar?

13 de agosto de 2020
Gestão
Gestão fiscal e tributária

Um dos erros mais comuns das indústrias em sua gestão fiscal e tributária é não investir em planejamento tributário visando minimizar os custos fiscais. Outros fatores, como a inutilização da NF-e e a falta de acompanhamento das evoluções das leis tributárias, também impactam nas atividades de contabilidade industrial.

Em 2019, por exemplo, as empresas no Brasil sonegaram cerca de R$ 1,2 bilhões de impostos, e isso faz com que a Receita Federal crie rotinas ainda mais rigorosas de controle e inspeção contra irregularidades fiscais.

Levando em consideração a otimização das atividades relacionadas com a gestão fiscal e tributária das indústrias, relacionamos alguns erros que podem ser corrigidos para garantir que a sua indústria não fique devendo nada para a Receita Federal!

3 erros que impactam as atividades de gestão fiscal e tributária

1.    Falta de planejamento tributário

O Brasil é o país com alguns dos encargos tributários mais complexos do mundo. Além de uma grande quantidade de tributos, os excessos burocráticos da administração pública dificultam bastante o cumprimento das obrigações.

Vale lembrar que o Fisco não tolera atrasos e não há exceções para isso. Recomendamos a criação de um calendário tributário com alertas de pagamentos e envios de documentação acessória. Além de não ser uma atividade muito complexa, grandes dores de cabeça poderão ser evitadas!

2.    Não acompanhar as atualizações tributárias

Emendas constitucionais, leis complementares, leis ordinárias, leis delegadas, medidas provisórias, decretos legislativos e novas resoluções pertinentes à área fiscal e tributária surgem a cada mês ou semana. Algumas atualizações são meramente informativas, mas muitas delas se tornam exigências que passam a ser cobradas em pouco tempo.

Nos últimos anos, vários processos que antes eram manuais passaram a ser automáticos e, com isso, veio a digitalização que está mudando bastante as documentações acessórias e até mesmo as informações que preenchemos.

A gestão fiscal e tributária é um processo que deve estar em constante evolução dentro de qualquer empresa. Informações que antes eram exigidas deixam de ser obrigatórias no mesmo ritmo que novos dados são exigidos pelos órgãos fiscalizadores do governo. Portanto, o acompanhamento dessas mudanças garante a idoneidade fiscal da empresa e anula atividades desnecessárias, poupando o tempo da sua equipe.

3.    Não contar com um sistema que otimize esse processo

Um sistema de gestão permite que a sua indústria realize transações financeiras com eficiência e possibilita a rastreabilidade das movimentações previstas e realizadas com reflexo direto no fluxo de caixa. Outras funções como operações de cobrança e de pagamentos automatizados com bancos e instituições financeiras também otimizam a gestão fiscal e tributária da sua planta.

A falta de otimização em qualquer setor da indústria é um problema grave, pois freia o crescimento da marca, que fica presa em atividades repetitivas e pouco produtivas, além de dificultar o dia a dia dos colaboradores, que poderiam produzir muito mais com processos automatizados.

Contar com um ERP industrial atualizado, que reúne e apura todas as informações inerentes às prestações e obrigatoriedades legislativas, garante uma gestão fiscal e tributária eficiente para a sua planta. Nós podemos te ajudar com isso! Entre em contato com os nossos consultores e solicite uma proposta que personalizada para o momento do seu negócio!

Comentários

Tags Relacionadas
Publicações relacionadas

Não perca nenhuma novidade! Receba nossos artigos e materiais e fique preparado para os desafios da gestão industrial.

Cadastre-se