Não perca nenhuma novidade! Receba nossos artigos e materiais e fique preparado para os desafios da gestão industrial. Cadastre-se

Formação de preço: como definir?

22 de dezembro de 2016
Gestão
Formação de preço: como definir?

Frequentemente, a formação de preços é tratada de forma superficial por muitos gestores. No entanto, esse processo envolve muito mais do que simplesmente acrescentar uma margem de lucro.

Em meio a grande competitividade do mercado, a formação de preços é realizada a partir da lei de oferta e procura. O valor proposto em um produto interfere não somente na venda em si, mas também na concorrência e nas atividades internas da empresa. Segundo o Sebrae, “o preço de venda é o valor que deverá cobrir o custo direto da mercadoria, produto ou serviço, as despesas variáveis (como impostos e comissões), as despesas fixas proporcionais (como aluguel, água, luz, telefone, salários e pró-labore), além de permitir a obtenção de um lucro líquido adequado”.

É importante ressaltar que erros no processo da formação dos preços podem resultar em consequências negativas em curto, médio e longo prazo. Assim, para que o valor calculado proporcione resultados satisfatórios, há alguns pontos essenciais a serem observados:

 

  1. Distribuição dos custos comuns

O melhor a fazer é escolher o critério de rateio mais aplicável às características do seu negócio, levando em conta os seus produtos e serviços, mas sem perder de vista que o objetivo final dessa divisão é que todos os custos comuns sejam cobertos.

 

  1. Cálculo do custo unitário

Primeiramente, o valor total dos custos deve ser calculado e, em seguida, este deve ser dividido pelo volume de produção ou prestação de serviço para se chegar ao custo unitário.

 

  1. Tributação 

A partir do momento que os impostos compõem os custos da empresa, como no caso do Imposto de Renda e da Contribuição Social, eles devem ser inclusos para o cálculo da formação de preços.

 

  1. Tratamento dos custos variáveis não padronizados  

A partir da avaliação do histórico de dados, é necessário verificar as tendências futuras para poder projetar o percentual médio de custos variáveis, que por sua vez, deve ser levado em consideração na formação de preços.

 

  1. Distorção do objetivo da formação de preços  

A empresa não deve ser apenas uma repassadora de custos. A análise de preços é essencial para mostrar os pontos fortes e as possíveis dificuldades do seu negócio, avaliando a competitividade que você exerce no mercado com um determinado produto ou serviço.

 

A formação de preços é abrangente e complexa, portanto desafiadora. Um erro de cálculo ou de decisão podem tomar grandes proporções e trazer prejuízos para o seu negócio. Por isso, uma maneira eficiente para evitar riscos como estes é utilizando um sistema de gestão, que disponibilize todas as informações corretamente, que facilite e valide essa análise. O ERP da ABC71 ajuda os gestores no controle de todos os processos e, dessa forma, a tomar as melhores decisões para alavancar a produtividade e a competitividade no mercado.

Comentários

Tags Relacionadas Análise da dadosCálculosempresasFormação de preçosGestão
Publicações relacionadas

Não perca nenhuma novidade! Receba nossos artigos e materiais e fique preparado para os desafios da gestão industrial.

Cadastre-se