ERP Omega entra em operação na Klinger

ERP Omega entra em operação na Klinger

Sistema agilizou processos e trouxe mais segurança e confiabilidade das informações

No dia 1o de julho de 2011 entrou em operação o ERP Omega na fabricante mundial de vedações para aplicações industriais e automotivas, o grupo Richard Klinger.

O grupo composto por 35 empresas e 12 unidades industriais em nove países das Américas, Europa e Ásia oferece um amplo mix de produtos como válvulas, lâminas de vedação, visores de nível, mantas de isolação, vidros para visores e vidros circulares. No Brasil, onde está sediado o centro de operações do grupo para a América Latina, a empresa possui uma unidade industrial em Várzea Paulista (SP), onde produz lâminas de vedação, válvulas globo de pistão, visores de nível e válvulas de controle atuadas.

A empresa adquiriu a solução da ABC71 no final do ano passado e em janeiro de 2011 iniciou a implantação dos módulos das áreas administrativa, fiscal e contábil. “O projeto todo compreende a implantação de 26 módulos, incluindo a área industrial”, diz Marcos Paulo Roque, Coordenador de Projetos da ABC71.

Segundo Roque, a implantação da Klinger será realizada em duas etapas: a primeira, dos módulos básicos, acaba de ser concluída. Essa fase inclui ainda módulos fiscais e contábeis, que devem ser concluídos até o final de agosto. Em setembro de 2011, terá início a segunda etapa da implantação, que compreende módulos da área industrial. A entrega está prevista para fevereiro de 2012. “Todo o processo tem ocorrido de forma tranquila dentro dos prazos previstos. A segunda fase certamente também será”, prevê Marcos Paulo Roque. “A parceria com cliente é fundamental para o sucesso de qualquer projeto. Temos apoiado e recebido todo o apoio do cliente e o resultado não poderia ter sido melhor”, ressalta Roque.

“Nesses 25 dias em que o sistema está rodando já começamos a perceber os resultados. Nossa operação ganhou agilidade, facilitando muito a vida dos usuários”, diz Tiago Caetano, coordenador do projeto na Klinger. De acordo com Tiago Caetano, antes do ERP Omega, por exemplo, uma nota de entrada necessitava ser digitada três vezes para alimentar os diversos departamentos, como contas a pagar, a receber etc. Isso acontecia porque o sistema que a Klinger utilizava não era integrado. A base de dados era muito confusa e não era confiável. Atualmente, basta o input dos dados uma única vez no ERP Omega e todo o processo é disparado automaticamente, diminuindo assim o tempo gasto com essa tarefa. “Não havia geração automática de arquivos, havia sim muito retrabalho. O pedido de venda demorava muito para ser aprovado, comprometendo a competitividade do negócio”, afirma o executivo da Klinger.

Essa mudança do método do trabalho colocou a empresa em outro patamar de negócios, mais competitiva em seu mercado de atuação. Tanto é que desde que o ERP Omega começou a ser utilizado, a empresa tem crescido com total suporte do sistema.

Pessoas são destacadas para realizar tarefas inteligentes, o operacional, a máquina realiza.

A modernização do sistema de gerenciamento empresarial também garantiu à Klinger o tratamento correto das obrigações fiscais e tributárias exigidas pelo Fisco, como o SPED PIS/COFINS e outras exigências legais. “Hoje estamos muito mais confortáveis e seguros em relação às nossas obrigatoriedades. Temos certeza que os dados informados estão dentro dos padrões exigidos pelo governo”, explica Tiago Caetano.

Para o coordenador da Klinger, o tratamento que o ERP Omega oferece nesses módulos fiscal e tributário é completo e está sempre sendo atualizado. “Hoje estamos preparados para atender de forma ágil qualquer nova exigência do governo. Não precisamos mais sair correndo para poder consolidar os dados, pois o ERP Omega é totalmente integrado”, completa.

Além da geração de arquivos magnéticos, a tecnologia da ABC71 também trouxe outros ganhos à Klinger. A empresa passou a tratar as informações referentes aos ativos imobilizados, inventários e análise de custos. “Com o sistema anterior, que era totalmente fragmentado, a geração de planilhas de análise de custos levava de 10 a 15 dias para ficar pronta. Hoje, isso pode ser feito de forma automática pelo ERP", comenta Marcos Paulo Roque, da ABC71.

Assim que forem concluídas todas as etapas de implantação, a empresa já estuda a possibilidade de migrar toda a base de dados do ERP Omega para a web. “No caso do pessoal de vendas, por exemplo, será possível consultar o estoque, realizar pedidos de forma mais ágil”, finaliza o Coordenador de Projetos da ABC71.