Não perca nenhuma novidade! Receba nossos artigos e materiais e fique preparado para os desafios da gestão industrial. Cadastre-se

Quais são os benefícios e desafios de um controle patrimonial?

7 de janeiro de 2021
ERP, Gestão
Controle-Patrimonial

O gestor de uma indústria tem como uma de suas principais obrigações manter toda a organização em pleno funcionamento com análise de processos, acompanhamento de resultados, entre outras responsabilidades. Nesse sentido, é fundamental que ele saiba o que é controle patrimonial e o que ele pode entregar para a empresa.

Em muitos casos, os mesmos acreditam que se trata apenas de um processo burocrático, mas manter todos os processos contábeis de acordo com a lei são fundamentais para garantir que a empresa alcance maiores resultados e credibilidade.

Deixar de lado o processo de controle patrimonial pode acarretar em diversas consequências negativas para a organização, bem como processos judiciais. Vamos entender quais os benefícios e desafios de um controle patrimonial.

O que é Controle Patrimonial?

De dados tangíveis – que se referem aos bens mensuráveis e físicos – até os dados intangíveis – que se referem aos que não possuem uma representação física, o controle patrimonial pode ser definido como o gerenciamento de todo o patrimônio de uma empresa.

Esse procedimento garante aos gestores terem em mãos todas as informações da organização, bem como os relatórios financeiros em concordância com as normas exigidas, garantindo assim credibilidade e segurança. Vale ressaltar que empresas que possuem mais credibilidade apresentam mais chances de atrair investidores.

A não realização de um controle patrimonial dificulta demais a administração da indústria, podendo ocorrer perdas e outras consequências negativas. Em um exemplo, podemos citar gastos desnecessários, pois a falta de um relatório financeiro pode acarretar em uma falta de visão do momento econômico e real situação financeira, causando assim gastos desnecessários com impostos, dificultando o acúmulo de capital e o crescimento.

Entre os principais desafios do controle patrimonial, é possível citar os imprevistos. Quase sempre de cunho financeiro, gastos que não eram previstos, como manutenção de uma máquina, por exemplo, pode ocorrer e ter que acrescentar no relatório financeiro. Caso a indústria não tenha um controle patrimonial, tal serviço de manutenção realizado pode trazer riscos a planta, já que o gestor não tem um relatório financeiro completo.

Outro desafio que podemos citar é em relação ao tempo para a atualização do controle patrimonial. O recomendado é seguir um cronograma e cumpri-lo. No entanto, o ideal é que pelo menos uma vez por ano seja feita a atualização.

Benefícios do Controle Patrimonial

Um controle Patrimonial deve ser visto pelos gestores industriais e donos de empresas como um investimento e não apenas como um processo burocrático. Investir em um controle patrimonial para a sua organização traz inúmeros benefícios:

  • Depreciação Fiscal/Contábil;
  • Controle eficiente para avaliação de lucros e possíveis prejuízos na organização;
  • Possibilidade de certificação de qualidade;
  • Segurança Jurídica, pois evita problemas com o Fisco, Declarações de IR e com o Poder Judiciário;
  • Garante uma gestão mais efetiva;
  • Planejamento para a preservação dos bens;
  • Maior possibilidade de atrair investidores;
  • Redução de riscos;
  • Possibilidade de identificar as necessidades reais da empresa.

Como fazer o Controle Patrimonial de sua indústria?

Um outro desafio sobre o Controle Patrimonial é a fazê-lo de forma eficiente. Realizar um Controle Patrimonial envolve cinco etapas: o inventário do patrimônio, a avaliação dos ativos, a revisão de vida útil, a determinação de taxa de depreciação e o Teste do Impairment.

Etapa 1: Inventário do Patrimônio

Nessa etapa é realizado um mapeamento completo e uma vistoria para análise do estado de conservação dos bens. Também é realizado um questionário sobre regime de manutenção e tempo de uso dos equipamentos.

Etapa 2: Avaliação dos ativos

Nessa etapa é realizada a avaliação dos ativos para a verificação do seu valor atual de mercado. A partir do valor do bem, é realizado o valor residual e o custo de reposição do bem.

Etapa 3: Revisão de vida útil

A terceira etapa é a revisão da vida útil de cada ativo. A revisão é considerada fundamental pelo fato de contabilizar dados importantes, como amortização e depreciação

Etapa 4: Determinação da taxa de depreciação

A penúltima etapa tem como finalidade calcular o valor depreciado a partir das informações sobre o valor do ativo e o valor residual. Com o resultado, é possível encontrar o valor de depreciação anual do bem.

Etapa 5: Teste Impairment

A última etapa tem como objetivo verificar se os ativos estão desvalorizados, o que auxilia o empresário na tomada de decisões estratégicas relacionadas a eles. Caso o valor contábil exceda o valor justo, será necessário contabilizar o resultado e registrar baixa.

Sistema ERP para Controle Patrimonial

Com tantas informações e variações a serem consideradas, a tecnologia pode ser um grande auxílio nessas horas. O ERP (Enterprise Resource Planning) irá possibilitar maior integração entre os setores da empresa, além do fornecimento de informações confiáveis ao gestor.

Contar com o ERP da ABC71 garante a administração do departamento financeiro, viabilizando troca de informações e integração com o fluxo de caixa, podendo ser realizado um acompanhamento em determinado período para projeções futuras e antecipar decisões. 

Para saber mais e ter em sua empresa um  ERP para garantir o controle patrimonial, entre em contato agora mesmo com um de nossos consultores e solicite uma proposta personalizada.

Comentários

Tags Relacionadas controle patrimonialERP industrialpatrimonio
Publicações relacionadas

Não perca nenhuma novidade! Receba nossos artigos e materiais e fique preparado para os desafios da gestão industrial.

Cadastre-se